Patíbulo

R$ 110,00

Descrição

Automatismo psíquico, escrita automática e collages são práticas que permeiam a trajetória do movimento surrealista. O fato de serem vistas, ainda hoje, como técnicas a serviço de um objetivo específico, revelam a urgência de Patíbulo com para-raios: surrealismo e filosofia, coletânea de ensaios do filósofo e escritor Georges Sebbag (1942), com tradução de Bruno Costa.

A série de equívocos que envolvem a aventura surrealista é aqui desnudada e colocada em perspectiva para jogar luz aos verdadeiros objetivos do movimento. “O intuito do recorte aqui estabelecido é exteriorizar os aspectos ocultos que interligam surrealismo e filosofia a partir de uma verdadeira ‘batalha do espírito’ vislumbrada nas obras dos membros do movimento surrealista e seus arredores”, destaca Alex Januário na apresentação da obra.

“Sabemos que o surrealismo foi um formidável movimento poético e artístico. No entanto, ignoramos que no seio do grupo surrealista a dupla Louis Aragon-André Breton e os franco-atiradores Antonin Artaud e René Crevel elaboraram um verdadeiro projeto filosófico ao longo da década de 1920”, escreve Sebbag na Introdução.

A partir de seu primeiro contato com André Breton em 1964, Sebbag passou a integrar o grupo surrealista de Paris. Assim, suas considerações a respeito da filosofia presente na proposta surrealista desde o primeiro Manifesto do Surrealismo (1924) e de seu desenvolvimento ao longo das décadas são permeadas pelo olhar analítico de quem vivenciou e contribuiu para esse processo.

Patíbulo com para-raios: surrealismo e filosofia é uma recolha de ensaios oriundos do original Potence avec paratonnerre – surréalisme et philosophie (Hermann Éditeurs, 2012). O título remete à obra do pintor Wolfgang Paalen que ilustra a capa desta edição, uma homenagem ao escritor alemão Lichtenberg que, por sua vez, está presente na Antologia do humor negro, de Breton (1940), cuja tradução está em fase de preparação pelas Edições 100/cabeças, com lançamento previsto para 2024.

Sobre o autor

Georges Sebbag (Marraquexe, 1942) é filósofo e escritor. Vive em Authon-la-Plaine, na França. Sua atuação no movimento surrealista teve início em 1964, quando entrou em contato com André Breton e passou a frequentar as reuniões do grupo surrealista parisiense. Sua colaboração ao lado do grupo se manteve até 1969.

Participou como diretor da coleção Bibliothèque Surréaliste, publicada por Jean-Michel Place, e como co-editor da The International Encyclopedia of Surrealism (2019). Publicou ensaios filosóficos nas revistas Aletheia, Cause Commune, Revue d’Esthétique, Intersigne, Critique, Mélusine e na revista surrealista brasileira A Phala n. 2, dirigida por Sergio Lima.

No Brasil, deve-se destacar os ensaios publicados pelas edições 100/cabeças “O século bola de neve de Jacques Vaché”, posfácio do livro Cartas de guerra, de Jacques Vaché (2021) e “Nadja, ou o enigma de uma tarde de outono”, posfácio de Nadja, de André Breton (2023).



Ficha técnica

Título: Patíbulo com para-raios: surrealismo e filosofia
Autor: Georges Sebbag
Tradução: Bruno Costa
Nota sobre o autor e edição: Alex Januário
Projeto Gráfico: Daniel Justi
Número de páginas: 584
Formato: 16×23 cm
ISBN: 978-65-87451-17-6
Preço: R$ 110,00
Ano da publicação: 2023