Antologia de mitos

R$ 180,00

Descrição

Pensamento mágico em estado pulsante. Mitos de origem de existências livres, exuberantes e generosas. Poesia do modo de viver, organizada pela sensibilidade do poeta surrealista Benjamin Péret (1889-1959) com trajetória marcada pelo anticolonialismo. Antologia de mitos, lendas e contos populares da América, obra póstuma à qual o autor dedicou dezessete anos de sua vida, com tradução de Alexandre Barbosa de Souza.

“É inseparável da íntima convicção que Péret e os surrealistas tinham da superioridade das culturas ditas ‘primitivas’ ou ‘arcaicas’ em relação à civilização Ocidental, corrupta, mercantil e miserável. […] O sonho do revolucionário surrealista é a sociedade futura, livre de opressão, na qual a poesia voltará a ser tão natural ao ser humano quanto o olhar.”, afirma Michael Löwy, na apresentação do livro.

Para Karla Segura Pantoja e Gérard Roche, que assinam o prefácio da edição, os mitos, lendas e contos selecionados por Péret, nos mostram, de maneira evidente, o gênio inventivo dos povos que os criaram, e que a religião e o racionalismo das sociedades modernas não conseguiram extinguir. “Muito pelo contrário, o anseio da humanidade pelo irracional, pela poesia e pelo maravilhoso permanecem presentes. Neste mundo desiludido, hostil à poesia, que é o nosso hoje, a leitura desta antologia nos ensina que nada está perdido e nos dá um motivo de esperança”, escrevem.

Esta edição é selada com uma detalhada cronologia da trajetória de Benjamin Péret e sua intensa atividade no núcleo do cometa surrealista, assinada por Alex Januário.

Uma compilação rigorosa

“Quero compilar as mais belas lendas da América, enquanto aguardo coletar as mais belas do mundo. E para tal, preciso de livros sobre o folclore brasileiro”, escreveu Benjamin Péret à sua ex-esposa, a cantora soprano Elsie Houston, em janeiro de 1942. Desde sua primeira vinda ao Brasil (1929-31), quando eram casados, Péret manifestou vivo interesse nas dimensões mágica e mítica da cultura brasileira. O folclore e os rituais afro-brasileiros, com os quais teve contato próximo, tornaram-se a base dessa antologia.
Quando escreveu essa carta, Péret iniciava seu exílio no México, onde chegara em dezembro de 1941 acompanhado da artista Remedios Varo, com quem estava casado. A coleta de textos começou pelos mitos astecas e avançou para os povos de todo o continente. O autor compilou vasto material bibliográfico de fontes em cinco idiomas: espanhol, francês, português, inglês e alemão.

Péret traduziu e interpretou o material presente nas narrativas dos conquistadores, viajantes, missionários e folcloristas em um rigoroso trabalho de documentação dessas tradições. O objetivo da empreitada era “demonstrar como a poesia e o sentido do maravilhoso são inatas ao humano”, conforme revelou em carta a Emilio Adolfo Westphalen.

Além da consulta à bibliografia existente, o poeta recorreu a escritores e artistas com os quais trocou uma série de cartas sobre o tema: André Breton, Sherry Mangan e Kurt Seligmann, nos Estados Unidos; Miguel Angel Astúrias, na Guatemala; Pierre Mabille, no Haiti; Westphalen, no Peru, e Eugenio Granell no Caribe.

Sobre o autor

Benjamin Péret (1889-1959) nasceu em 4 de julho em Rezé, próximo a Nantes, França. Foi um dos mais importantes poetas franceses do século XX, sendo um dos fundadores do movimento surrealista.

Teve destacada atuação política e dedicou grande parte de sua vida a temas cruciais da sociedade, com atuação marcadamente anticolonial, denunciando a barbárie “civilizatória” e o obscurantismo. Com a cantora lírica Elsie Houston, que conheceu em Paris, reside no Brasil de 1929 a 1931, aproximando-se do movimento antropofágico e da esquerda trotskista. Expulso do país por Getúlio Vargas, luta ao lado dos anarquistas na Guerra Civil Espanhola e retorna a Paris, onde chega a ser preso durante a ocupação nazista.

Em 1941, parte para o exílio no México com a artista Remedios Varo, que também conheceu em Paris. Em sua segunda vinda ao Brasil, de 1955 a 1956, realiza expedições em diversas comunidades indígenas. Retornando a Paris, mantém as atividades junto ao grupo surrealista até sua morte.



Ficha técnica

Título: Antologia de mitos, lendas e contos populares da América
Autor: Benjamin Péret
Tradução: Alexandre Barbosa de Souza
Apresentação: Michael Löwy
Prefácio: Karla Segura Pantoja e Gérard Roche
Cronologia: Alex Januário
Projeto Gráfico: Daniel Justi
Número de páginas: 592
Formato: 31,5 x 22,5 cm
ISBN: 978-65-87451-16-9
Preço: R$ 180,00
Ano da publicação: 2023